Residencial “Emídio Araújo” sem serviço de Correios.

Assessoria de Comunicação dos Correios garante que problema será resolvido em breve.

Por Aline Amaral

Há dois anos, após a entrega das moradias, o Conjunto Habitacional “Emídio Antônio Araújo” continua sem a prestação de serviços dos Correios.

Os moradores das 106 casas, construídas através de convênio da Prefeitura com a CDHU – Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano –, ainda buscam as correspondências na agência dos Correios, no Centro da cidade, se quiserem pagar as contas em dia.

As casas foram entregues muradas, contendo dois ou três quartos, sala, cozinha, banheiro, aquecedor solar e quintal, além de um bom espaço nos fundos de cada residência.

O Conjunto também foi inaugurado com todas as ruas asfaltadas e uma praça com quadra esportiva e pista de skate, ou seja, os contemplados daquelas casas foram bastante privilegiados, no entanto, sofrem com uma prestação de serviço que até hoje não foi solucionada.

No ano passado, sete meses após a inauguração daquele conjunto habitacional, este semanário publicou uma matéria sobre o problema, pois os moradores reclamavam constantemente, porém, nada foi feito e até hoje a situação continua a mesma.

Atualmente, a maioria das casas está diferente de quando foram entregues. Os moradores colocaram portões, fizeram garagens, áreas, e alguns até aumentaram a sala e a cozinha, ou construíram mais um quarto.

A falta de entrega de correspondências é a única reclamação dos moradores, que vêem aquele bairro como um ótimo lugar para morar, bastante tranquilo e com boa localização.

De acordo com uma das contempladas, Josefa Donizete Silva Antoniolo, os moradores já se cansaram de reclamar e nada mudar, e justifica que os afazeres do dia a dia dificultam a ida até os Correios em busca de possíveis correspondências.

“É difícil para quem trabalha, pois o horário de almoço é o único tempo para ir até a agência e, às vezes, você gasta um tempão na fila e, quando chega sua vez, não tem nenhuma correspondência. Também é preciso ficar atento com os vencimentos dos boletos bancários, para não passar a data de vencimento e, então, pagá-los com juros. Já temos tanta correria no dia a dia e ainda precisamos correr atrás de um serviço que era para ser entregue em nossas próprias residências”, afirmou Josefa.

A moradora também explicou que as únicas contas que são entregues nas casas são as de água e de luz, pois são as próprias companhias que fazem as entregas, o Saae e a Elektro, respectivamente.

A reportagem entrou em contato com a Assessoria de Comunicação dos Correios, que afirmou que “o Conjunto Habitacional Emídio Antonio Araújo, em Santa Fé do Sul, já foi incluído nos estudos técnicos realizados pelos Correios para dimensionar a quantidade de carteiros necessários para atender a região e, com a finalização do processo e o recebimento dos recursos, serão expandidas as entregas de correspondências ao bairro. A previsão é de que isso ocorra até o fim deste ano”.

Ressaltou ainda que até que seja implantada a distribuição domiciliária no bairro, os Correios disponibilizam as correspondências para retirada, pelo destinatário, na agência dos correios de Santa Fé do Sul, localizada na rua 9, n° 697, Centro, de segunda a sexta-feira, das 9:00 às 17:00 horas. As correspondências ficam à disposição do destinatário pelo período de 20 dias, excetuando o telegrama, cujo prazo é de sete dias. Após esse período, elas são devolvidas ao remetente.

https://lh5.googleusercontent.com/-YM4jyG7PkkI/T3hihan_jfI/AAAAAAAAG-M/EHBKXwp-OXU/s127/Fonte%2520noticias4.JPG

Bookmark and Share