Reconstituição do assassinato de corretor será no dia 23.

A casa de numero 1460, na Rua 18, localizada n centro de Santa Fé do Sul, voltará a receber uma equipe de policiais e profissionais do IC – Instituto de Criminalística para ser realizada a reconstituição da morte do corretor Aderaldo Souza Ceni, 40 anos, ocorrida no inicio da tarde do dia 12 de setembro, uma quinta feira.

A reconstituição do crime acontecerá nesta quarta feira (23), às 10 horas.

Alexandre Franco dos Santos, 38, que se entregou a policia de Santa Fé do Sul na tarde do dia seguinte ao crime (13/9) por volta das 16h30min horas, confessou ter matado com um tiro na nuca o corretor Aderaldo Souza de Ceni.

Ele se apresentou na Delegacia do Município acompanhado dos seus advogados, após ter sido decretada a prisão preventiva por cinco dias. Alexandre foi solto no dia 20 de setembro para aguardar o processo em liberdade.

O crime ocorreu na porta da casa do acusado, e teria sido motivado por ciúmes.

O Crime

Aderaldo teria tido um relacionamento amoroso com S.B. 37, na época ex-mulher de Alexandre, com o fim desse caso ela teria reatado com o Alexandre, porem Aderaldo não aceitava o fim do relacionamento, razão pela qual estaria assediando S B constantemente.

Na data do crime Aderaldo teria ligado para S.B. e depois foi procurá-la em sua casa na Rua 18 na tentativa de reatar o relacionamento. Diante disso S.B. teria ligado para Alexandre contando o assédio, a partir deste momento o desfecho final foi à morte de Aderaldo que foi enterrado na tarde do dia 13 de setembro na cidade de Santa Albertina.

Defesa de Alexandre vai alegar Legitima Defesa “Putativa”

Os advogados do réu, Manoel Tobal Garcia Junior e Rodrigo Antonio Correia, confirmaram que Alexandre irá participar da reconstituição para comprovar à justiça e a Polícia que agiu em legítima defesa. SB também poderá participar da reconstituição.

Segundo o advogado Rodrigo “Jão”, o autor do homicídio, disse que ao avistar Aderaldo na frente da casa onde aconteceu o crime, viu em suas mãos alguns objetos que levou e pensar que fosse uma arma, e imaginou que poderia ser atingido por Aderaldo e então disparou na nuca da vitima.

No inquérito que corre em segredo de Justiça, o autor disse que a vítima vinha fazendo constantes ameaças contra Alexandre e sua mulher, SB.

Na cena do crime ao lado do corpo de Aderaldo que foi morto com um tiro na nuca foram encontrados um celular e um CD. Alexandre estava dentro da residência e Aderaldo do lado de fora, ambos separados pelo portão da casa.

 

Bookmark and Share