Polícia investiga se álcool foi causa da morte de garoto de 13 anos.

Hospital de Rio Preto (SP) informa que menor chegou em coma.
Parentes negam que ele tenha ingerido bebida alcoólica.

https://lh3.googleusercontent.com/-lhnXMiVDw24/U3N8C5PAL6I/AAAAAAAAAcw/kMpsBfgXbYY/s620/fdg.jpg

Documento do Conselho Tutelar aponta para o uso de bebida alcoólica (Foto: Reprodução / TV TEM)

A polícia investiga a morte de um estudante de 13 anos, de Santa Fé do Sul (SP), após sofrer um acidente vascular cerebral hemorrágico nesta segunda-feira (12). Segundo o Conselho Tutelar, o menino passou mal depois de tomar bebida alcoólica. A família, que inicialmente confirmava essa suspeita, deu outra versão para o caso e negou o envolvimento do adolescente com drogas ou álcool.
De acordo com o documento entregue pelo Conselho Tutelar à polícia, o jovem teria passado mal na quinta-feira (8) após ingerir bebida alcoólica com amigos em um bar, que fica próximo a uma faculdade. "Recebemos a comunicação do Conselho Tutelar, sobre a morte do adolescente, que supostamente teria consumido ou bebida alcoólica ou drogas ilícitas. Determinei a investigação para contactar testemunhas e familiares para ouví-las, visando esclarecer o que aconteceu. Não temos o boletim de ocorrência elaborado sobre a morte do adolescente, mas há a suspeita de relação com bebida ou drogas. O laudo necroscópico deverá esclarecer", afirma o delegado Marcelo Sales França, que acompanha o caso.
No documento, há o relato de parentes que teriam ouvido o garoto dizer que houve o consumo de vodka e que ele havia sido "anestesiado". O jovem começou a passar mal na sexta-feira (9) e foi levado a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no sábado (10), e em seguida para a Santa Casa de Santa Fé do Sul.
O diretor da Santa Casa, Josemar Dalla Colleta, afirmou que diante do quadro clínico do paciente - foi constatada uma hemorragia através de uma tomografia de crânio - e pela ausência de um neurocirurgião na cidade, o paciente foi encaminhado para o Hospital de Base de São José do Rio Preto (SP), onde o adolescente já teria chegado em coma. A morte cerebral foi registrada nesta segunda-feira (12). O Hospital de Base, através de sua assessoria, informou que somente o laudo do IML poderá dizer as causas da morte.

Família nega drogas ou álcool

No velório do jovem, na tarde desta terça-feira (13), parentes negaram que o estudante teria ingerido bebida alcoólica. De acordo com o tio, Valdir Ananias de Oliveira, o caso foi uma fatalidade. "Ele nunca bebeu. Não houve droga, nem bebida. A família foi atingida por estes comentários. Ele era saudável, isso é boato e não existe. Foi uma fatalidade, está no laudo", diz Oliveira.
O boletim de ocorrência requisitou o exame para esclarecer a causa da morte. Esse laudo do IML pode comprovar se há ou não vestígio de drogas ou bebida alcoólica.  Se confirmado o uso, os envolvidos podem ser punidos. "A depender da substância ingerida ou ministrada no adolescente, pode variar de uma simples contravenção de servir bebida alcoólica, crime previsto no ECA, ou mesmo em último caso, crime previsto na lei de drogas. Vai depender muito do que foi apurado nas investigações", explica o delegado. Ainda segundo França, não há nenhum histórico relacionando o jovem ao uso de drogas ou outras ocorrências.

https://lh3.googleusercontent.com/-IUjdFHRfMmw/U3N8ilGluMI/AAAAAAAAAdE/FIn34BNBC4M/s620/fdg.jpg

Tio segura laudo que aponta morte cerebral de adolescente (Foto: Reprodução / TV TEM)

Fonte: TV Tem

Bookmark and Share