Divulgados os índices de desenvolvimento.

Emprego e Renda despencam índice de Santa Fé.

O Índice de Desenvolvimento Municipal, é um estudo anual que acompanha o desenvolvimento de todos os mais de 5 mil municípios brasileiros em três áreas: Emprego & Renda, Educação e Saúde. Ele é feito, exclusivamente, com base em estatísticas públicas oficiais, disponibilizadas pelos ministérios do Trabalho, Educação e Saúde.

Criado pelo Sistema Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) para acompanhar a evolução socioeconômica dos 5.565 municípios brasileiros, o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) revelou em sua quinta edição, com dados de 2010,
São José do Rio Preto classificou-se em 2º lugar, tanto no Brasil, como no Estado de São Paulo. Já Santa Fé obteve a 359ª colocação nacional e a 188ª estadual.

Cada município recebe um índice médio, resultante da soma da pontuação nas três áreas analisadas: Rio Preto obteve o índice 0,9269 e Santa Fé, 0,7963. O de Santa Fé é resultado das seguintes notas: Educação, 0,9613, Saúde, 0,8970 e o baixíssimo 0,5305 em Emprego & Renda.

Panorama

A principal contribuição para a média brasileira partiu da vertente Emprego & Renda. O indicador manteve-se na faixa moderada, mas aumentou 8,6% em apenas um ano, passando de 0,7286 para 0,7914 pontos, como resultado da geração recorde de mais de dois milhões de empregos em 2010.

A categoria Educação manteve a tendência de evolução observada nos últimos anos e alcançou 0,7692 pontos, desenvolvimento moderado. A pontuação representou um avanço de 2,5% em comparação com o ano anterior, com crescimento em 81,5% dos municípios. Em particular, destacou-se a expansão no atendimento da educação infantil no Brasil, que em 2010 progrediu em mais de 80% das cidades. A quantidade de crianças em idade pré-escolar matriculadas no país subiu de 34,9% em 2009 para 40,1% no ano seguinte.

Na Saúde, o indicador ficou praticamente estável, mas manteve-se em patamar de alto desenvolvimento, atingindo 0,8091 pontos: crescimento de 0,9% em 2010, quando 64,8% dos municípios avançaram nessa área de desenvolvimento. Entre as variáveis de saúde básica acompanhadas pelo estudo, o destaque de 2010 ficou para o aumento do número de gestantes com sete ou mais consultas pré-natal, o que ocorreu em quase 70% do país. Ainda assim, apenas 5,3% dos municípios têm mais de 90% das gestantes fazendo pré-natal corretamente.

Estrema pobreza

Em 2010, seis cidades ainda apresentaram classificação de baixo desenvolvimento (IFDM abaixo de 0,4 pontos) no país, localizadas no Norte e Nordeste: Jordão (AC); São Paulo de Olivença (AM); Tremedal (BA); Bagres (PA); Porto de Móz (PA) e Fernando Falcão (MA). Em comum, as seis cidades com pior desempenho no IFDM têm graves lacunas em todas as vertentes acompanhadas pelo IFDM, apresentando uma realidade socioeconômica precária.
Para se ter uma ideia, em 2010, as seis cidades juntas somavam pouco mais de 3,2 mil postos formais de trabalho para uma população total de mais de 120 mil habitantes. No Brasil, são 46 milhões de empregos com carteira assinada para 190 milhões de habitantes. Em cinco desses seis municípios houve redução do salário médio frente a 2009, enquanto apenas 25% das crianças de até seis anos estão em creches e pré-escola (No Brasil, a média é de 40%). Na maioria desses municípios, não há sequer 10% de seus professores com diploma de ensino superior. Na cidade de Jordão (AC), apenas 3,1% dos docentes tem essa qualificação, enquanto a média observada no país é de 74%.

No quesito saúde, a situação também é preocupante. Enquanto a Organização Mundial da Saúde recomenda que as gestantes façam, no mínimo, sete consultas durante o pré-natal, o que ocorreu com 58% das grávidas brasileiras, nas cidades de Jordão (AC), Fernando Falcão (MA) e Porto de Moz (PA), menos de 10% das gestantes foram ao médico mais de seis vezes. Em São Paulo de Olivença (AM), menos de 1%. Lá, com a população de cerca de 23 mil habitantes, 0,2% de seus habitantes é composto de meninas de 10 a 14 anos com filhos, e de 8,2%, de meninas-mãe com idades entre 15 a 17 anos.

Estes os retratos de alguns dos municípios da região:

Classificação

Nome Nacional Estadual Índice
S.J.Rio Preto 2 2 0.9269
Votuporanga 35 31 0,8930
Ouroeste 76 59 0,8663
Pontes Gestal 91 69 0,8611
Fernandópolis 108 77 0,8545
Ilha Solteira 125 88 0,8497
Mirassol 148 98 0,8447
Meridiano 231 135 0,8196
Jales 297 162 0,8063
Sta.Clara 326 173 0.7963
Santa Fé 359 188 0,7963
Três Fronteiras 644 283 0.7650
Nova Canaã 687 305 0,7608
Santana P.Pensa 803 344 0.7514
Santa Rita 1.216 446 0,7285
Rubineia 1.927 577 0.6899

https://lh5.googleusercontent.com/-YM4jyG7PkkI/T3hihan_jfI/AAAAAAAAG-M/EHBKXwp-OXU/s127/Fonte%2520noticias4.JPG

Bookmark and Share