Facebook Twitter https://lh5.googleusercontent.com/-VwXSFyQ3mNE/Ut_SHhkbVaI/AAAAAAAAQ-Q/em82cN0xZsw/s57/Google-Plus-Badge1.png Instagram Youtube Email Yesbananas News (Facebook)

Clique e ouça

Facebook Twitter Google+ Instagran YouTube Email Yesbananas
News
Ouça a Yesbananas

Estância Turística

Santa Fé do Sul é a primeira Estância Turística do Estado de São Paulo que tem uma faculdade municipal de Turismo. Com a transformação da cidade em Estância Turística, após o governador Geraldo Alckmin promulgar, os moradores santafessulenses têm mais uma data para comemorar: 3 de abril. Segundo o prefeito Itamar Borges, com a transformação em Estância, o município passa a receber anualmente do Departamento de Apoio ao Desenvolvimento de Estâncias, recursos para investimentos no turismo; enquanto o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social - BNDES, deve viabilizar verbas aos empresários para que invistam em construções de pousadas, áreas de lazer e esportes náuticos. Itamar lembrou que Santa Fé foi aprovada como Estância Turística por reunir os requisitos exigidos por lei. De autoria do deputado Vaz de Lima, o projeto de Lei 241, de 2002, foi aprovado pela maioria dos deputados da Assembléia Legislativa de São Paulo.

Situado no extremo noroeste paulista, a 625 km da capital, o município faz divisa com três estados: está a 10 km do Mato Grosso do Sul, a 20 km de Minas Gerais e a 70 km de Goiás. Fundada em 1948, por Hélio de Oliveira, a cidade recebeu o nome de Santa Fé - que precisou ser do Sul - para não ser confundida com outro município da região nordeste do país.

Santa Fé é privilegiada hidrograficamente, porque, além da nascente do Rio Paraná - que fica a 15 quilômetros do centro -, é entrecortada por três bacias: São José, Jacú - Queimado e Ponte Pensa. O que atrai um grande número de turistas que vai a busca de pesca esportiva - com destaques para os peixes tucunaré e zoiudo - e passeios náuticos em balsa, barco, lancha e campeonatos de jet-ski. Conhecida como Estância do Sol, a cidade recebe milhares de visitantes num final de semana comum. Em ocasiões especiais, como o carnaval e épocas festivas, a população aumenta em até 50%.

Santa Fé se destaca hoje por belíssimos pórticos em suas vias de acesso à rodovia Euclides da Cunha e Rodovia dos Barrageiros. Como parte do processo de urbanização, embelezamento e resgate histórico, estão edificados quatro monumentos em diferentes pontos da cidade, além da remodelação das três principais praças centrais. Outros atrativos da Estância são o Parque Ecoturístico das Águas Claras; Mata dos Macacos; Museu a Céu Aberto (Bela Vista) que tem peças típicas e tradicionais da região como o monjolo - instrumento usado para descasca de grãos -, carro de boi - veículo de transporte das décadas de 40 e 50 - uma mini-locomotiva da década 60.

Santa Fé do Sul está localizada estrategicamente na Região Noroeste do Estado de São Paulo. A chamada região dos Grandes Lagos é forma pelas usinas de Ilha Solteira, Jupiá e Água Vermelha. Esta excelente localização faz de Santa Fé do Sul um portal para o Mercosul. O acesso a importantes rodovias como a Euclides da Cunha (SP 330), Washington Luiz (SP 310), Anhanguera (330) e Bandeirantes (SP 348), permite que as distâncias se encurtem na ligação entre os estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Minas Gerais. A Ponte Rodoferroviária (idealizada pelo escritor e poeta Euclides da Cunha) e a Hidrovia do Tietê-Paraná fazem de Santa Fé do Sul um importante pólo logístico para a produção industrial, pecuária, fruticultura, turismo, armazenamento, transporte e distribuição.